domingo, 26 de fevereiro de 2012

Se está tudo bem

Ás vezes, falta o ar. Quando o dia está nublado. Caem pingos de chuva no vidro da janela. Parecem lágrimas. Creio que não são. Devem ser apenas pingos, mesmo. Além do mais, não tem ninguém a minha espera. Eu posso ficar aqui a tarde inteira. Ou então, eu não deva. E apenas precise.
Uma folha a mais no meio de tanta tinta e papel não fará diferença alguma. O importante é apenas sentir-se bem.
É engraçado como a vida pode ser até então, prevísivel. E como nos sentimos tão frágeis e mortalizados quando estamos na espera. Seja de um resultado, de uma resposta ou de um abraço ou beijo.
Não é indiferente. Mas, faz frio. Dá febre. E quase ninguém sabe de nada. E então que as coisas mudam. Como todas as trocas, hoje lembradas, agora são banalizadas por um silêncio qualquer.
E enquanto quase ninguém sabe de nada. Nós sabemos que vamos sempre responder que "está tudo bem". Não me adianta querer voltar. Não querer dizer adeus. Já não salva. Não poupa tempo para te ter um pouco mais.
E você está feliz agora?

Se não estiver tudo bem


Eu quero que você saiba que dói. Dói todos os dias como doeu ontem. Como doeu quarta-feira. Como doeu a quatro semanas atrás. Aqui por dentro, nada mudou. Os dias continuam os mesmos.
E meu coração não bate por dentro. Bate por fora, moço. Tava dentro do bolso. E você roubou de mim. E quando era tocado, ardia aqui dentro. Acelerava meu pulso. O meu calafrio.
Eu não mereço a virada. Nem o revanche. Muito menos o jogo. Eu não quero a faca, nem sal, nem o limão. Nem o copo vazio.
Fiquei farta das minhas palavras. De todas as tentativas imaginadas e de nenhuma delas também. Cansei da marcha. Da mancha. Do tédio. Do tempo. De mim.
Conte sobre sua felicidade. Sobre seu dia. Me diga se está tudo bem. Se está quase tudo bem.
E se não estiver. Eu esqueço os outros dias de angústia. Eu explodo aquelas semanas e dissipo as dores de cabeça.
Mas, se estiver tudo bem. Muito melhor do que antes. Se cale.
Porque então, eu vou preferir a dúvida.


Katiuska Pellegrini

As 10 coisas que eu mais gosto.

1 - Ficar só.
Não gosto de muita gente na minha casa. Talvez por sempre ter sido só eu e minha mãe. Gosto muito de ficar sozinha e quando não dá, chego a ficar mal humorada.





2 - Ouvir musica alta.
Ouvir musica baixa, pra mim, não tem graça. Gosto mesmo é de musica alta, seja pra arrumar a casa, pra dançar sozinha ou só pra deitar e ficar apreciando.






3- Sorrisos.
Amo ver gente sorrindo, ainda mais criança (por isso a foto). Vivo provocando o sorriso de muita gente, a ausência dele me dá uma sensação ruim. O sorriso sempre ilumina.


4 - Informação.
Leio livros, revistas, jornais, vejo jornais, documentários... Tudo, tudo que me traga informações, novidades. Sou curiosa.

5 - Caminhar.
Já fiz caminhadas de uma hora e meia. Caminho pela manhã e sempre curti andar. Confesso que a necessidade contribuiu um pouco, haha.

6 - Cinema.
Nesse caso me refiro tanto ao espaço físico, como a arte no geral. Adoro aquela salona, escura e com uma tela grande. Isso me faz viajar.


Observar.
Observo sempre, porque isso me faz entender a vida.


8 - Fotografar.
Isso me diverte, me faz bem. Sempre fotografo momentos, gente distraída, paisagens.



9 - Feijão.
Na boa, eu AMO feijão. Vou comer na casa dos outros e quando não tem feijão o povo já até se desculpa comigo, porque comida sem feijão pra mim não tem muita graça.



10 - Minha cidade.
Pode ser violenta, meio fedorenta, meio feia, meio bagunçada e poluida, mas aqui é o meu lugar. Sou carioca e falo chiando com um orgulho imenso!

Thaina Farias

Não é você...

Peço para que me deixe ir,
Não vou mais insistir, você venceu mais uma vez,
Porque que toda vez eu assumo que eu perdi?



Isadora Flores

A Prisão

Quando terei a chance de te chamar de meu ? Se ao menos me notasse, finjo que não amo ninguém, tento enganar a mim mesma, mas meu coração faz questão de bater mais forte quando te vê, meus pensamentos entram em ação e então sinto minha face ser molhada, por uma lágrima. Corro para poder me esconder, para que não me veja daquele estado, acabo chorando mais e mais, e nada resolve meu problema. Sinto que ninguém me entende, que estou perdida em um labirinto onde não há saída, ficarei presa ali para sempre, não, não quero isso, quero me libertar, poder voar, sentir o vento batendo em meu rosto, é como se o labirinto fosse você, sem eu ter a chance de desvendá-lo, e a prisão o meu coração que não consegue se libertar dessa paixão. E agora me diga, o que eu faço ? Se quando estou longe de você quero te ver, e quando estou perto quero estar longe para poder te esquecer. 

Primeiro de abril

Eu tentei adiar,
Esquecer,
Camuflar
E hoje respiro,
Suspiro
Um imenso vazio
E fico aqui,
Sozinho
Olhando esse teto tão branco
Agarrando um travesseiro frio
Pensando cansado,
Meio febril
Achei que você se importava
Mas então percebi
Era primeiro de abril.


Katiuska Pellegrini

Olho....

Assim que vejo o hoje, tão diferente do que era o ontem, o que o futuro me esconderá?

Você aqui ou Eu aí?

Eu aqui, você ai
Eu escrevendo e você lendo
Eu tentado achar alguma saída para não pensar em você e você ai sentado sem ter o que fazer
Eu fazendo algo para que me note e você insisti em não me achar
Eu aqui e você ai.
Sentados, olhando a tela do computador, pensando... No que? Eu não sei.
Não acha que é melhor, você aqui comigo, do que eu ai? 



Isadora Flores
Meus cabelos ao vento,
Olhos atentos , 
Vento ao rosto 
o que vem vai passar, ao olhar adiante vejo tudo o que ainda estar por vir.

Conversa

Ele: Oi (tive que vir falar com você, estava morrendo de vontade, e já que você que veio, tive que tentar).
Ela: Oi (você não imagina o quanto eu estava esperando por essa janelinha piscar).
Ele: Tudo bem? (você com certeza deve estar muito melhor que eu).
Ela: Sim, e você? (desculpa mentir, não quero que você fique preocupado).
Ele: To bem, você andou sumida, o que houve? (estou muito mal, sinto sua falta, estava morrendo de saudades).
Ela: Eu estava resolvendo umas coisas, ocupada com os estudos, sabe como é (eu estava o tempo todo aqui, só você não viu).
Ele: Ah claro (acho que ela já deve ter esquecido de mim).
Ela: Como está indo as aulas? (devem estar muito melhores que a minha, deve ter cada menina bonita lá).
Ele: Tudo bem (não consigo nem estudar, fico pensando em você o tempo todo).
Ela: Escuta, tenho que ir (na verdade estou saindo pra não te falar tudo que tenho vontade, não quero mais me iludir).
Ele: Ok, beijos e se cuida (queria tanto que você ficasse mais, te amo mais que tudo).
Ela: Fica bem, beijos (meu amor, te amo demais, sinto sua falta).

Não consigo

olhar, falar, ouvir e nem ver você sem poder te chamar de meu.

Não sou

anjo nem santa e nem perfeita. Posso ser o que você deseja só depende de como você me vê.

Minhas palavras

estão soltas no mundo igual um pequeno grão de areia entre tantos...


Isadora Flores

'' Look at the stars,look how they shine for you... ''

A bagunça continuou aqui dentro, mas levou boa parte dela, e eu, tô tentando arrumá-la.

Me diz, me diz como eu arrumo essa bagunça aqui dentro de mim? Me diz, me explica, deixa eu entender, como é que eu posso concertar esse meu jeito, todo errado? As vezes me assusto com toda essa minha desordem, tanta coisa fora do lugar. Me diz como eu organizo essas minhas inconstâncias internas? Me diz como eu ponho em ordem toda essa desarrumação? Eu preciso mudar as coisas de lugar, as posições, preciso espantar a poeira debaixo do tapete. O que me incomoda é toda essa minha falta de ar quando penso que vou ter de substituir meus pertences. Isso tá me atormentando, me machucando. Como se cada móvel empoeirado neste cômodo me sussurrasse pensamentos que eu prefiro ignorar. Um canto aparentemente imundo. Não por causa de sujeira, o que havia ali era só uma poeira fina trazida da estrada. Era imundo pelo abandono, por ninguém se importar com lá, comigo. Lá ninguém passa, ninguém quer passar mesmo. O silêncio me assusta, ele grita, ele berra, ele diz tudo, sem querer dizer nada. Isso me incomoda. Eu vou remoer todas as caixas, abrir de gaveta em gaveta, revistar folha por folha dos meus livros velhos, pra ver se encontro esse meu problema. Essa minha falta de segurança em si. Essa minha carência por atenção. Esse meu jeito errado de ver o lado certo. Eu quero o equilíbrio, o concreto, o certo, eu quero poder esquecer esse mar de memórias dentro de mim. Eu sou a escuridão, no meio da luz, eu sou o silêncio, no meio de tanto barulho. Eu sou um oceano, e é fácil se afogar aqui. Eu já desconheço o meu sorriso, já que há tempos não vejo em meu rosto. Eu, estou, agora, completamente vazia. Sem sentimentos na pele, sem sonhos, apenas o corpo aqui, eu vou deixar a chuva lá fora, levar toda essa minha dor, todas essas memórias, toda essa minha nostalgia, e ela levou, levou tudo embora, tudo. A bagunça continuou aqui dentro, mas levou boa parte dela, e eu, tô tentando arrumá-la. Vou tentar deitar, dormir, relaxar, pensar um pouco menos, deixar de sentir um pouco mais. Vou reorganizar, renovar, sentir o gosto sólido do gelo em minha garganta, que a chuva tornou assim. 


Amanda Soares

Coberta

E nesse exato momento eu me escondo. Me fecho no casulo de meu quarto. Eu sou lagarta, molhada, molhada de vermelho e lágrima. Eu sou lagarta, ainda não preparada, me enrolando num cobertor de mesmices não tão dentro da rotina. Cobertor de memórias, de problemas, de busca. Busca de soluções. Fuga de problemas. Eu sou lagarta que foge, eu sou lagarta que busca. Busca a superação de uma borboleta. Mas, nesse exato momento, eu ainda me escondo…

There is nothing to be done


 Again, again, again.
 Acho que o ciclo do ir e vir me bateu de frente. Talvez despejando toda aquela confusão que eu arrastei pra debaixo do tapete. Perdeu a graça. A carcaça que eu guardo na porta do guarda-roupa apodreceu. Caiu. Me quebrou.
 Eu deveria ter trancafiado a porcaria do pulso latejante. Ou ter amarrado no saco plástico e sufocado a ternura.Aí sim, eu estaria agora tendo sucesso na inspiração, na não falta. No desejo do anti-desejo. Bem isso. Bem confuso. Bem não sendo eu de novo.
 Mas tudo que vai, volta. E minha cabeça dói. Os pés sujos, entortam. As mãos inquietas sofrem. O silêncio calejante invade. Ou seria um silêncio malicioso, que acaricia levemente?
 Eu nem sei mais o que falar pra todos. Sobre os elogios, as críticas e os tantos "que que você tem?". Quer saber o que eu tenho? Vai lá no meio da rua, e fica lá, sente o medo e a esperança te impulsando a correr, te desviando...mas antes de ir, olha pro céu...Então você me diz. Mas, pra resumir, tanto faz.
 O mês começa, um ano termina, e eu continuo com as mesmas lembranças, com lembranças mais novas. E novamente feridas antigas se abrem. Novamente tudo parece quieto e agitado ao mesmo tempo. Tudo parece ter sido eu. E não eu. 
 De novo. O ciclo.
 De novo. O silêncio.



"Sei que é praticamente impossível conseguir, mas e daí? A resposta deve estar na tentativa."

Um prato de arroz

"Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado.
Ele se vira para o chinês e pergunta:
- Desculpe-me, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz?
E o chinês responde:

- Sim, geralmente na mesma hora que o seu vem cheirar as flores!

"Respeitar as opções do outro "em qualquer aspecto" é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente
Nunca julgue. Apenas compreenda".

Fuja...


 Fuja. Fuja de pessoas falsas, fuja de mentiras, fuja de tudo o que te faz mal, e agarre-se apenas ao seus sonhos. 

Fuja de tudo e todos que lhe atraza, tudo que lhe retem.
Fuja de pessoas falsas, de mentiras, de tudo que te faz mal.
AGARE-SE apenas aos seus sonhos!


Jullyane
Os seus problemas você deve esquecer. Isso é viver, é aprender. Hakuna Matata.

Os seus problemas você deve esquecer. Isso é viver, é aprender. 


Hakuna Matata.

To aqui viu!

Eu não faço estardalhoço,
eu não crio muito barulho,
eu não dou muita notícia
mas Eu estou aqui!
O tempo vai, as coisas vão ficar diferentes. Pode ser que eu não tenha a oportunidade de estar aí.
talves eu não tenha a oportunidade de chegar a tempo,
mas fique sabendo que Eu estou aqui!
"A metade dos nossos erros na vida vem do fato de que sentimos quando devemos pensar e pensamos quando devíamos sentir."




- Ei moça, espera!

- Falou comigo?

- Sim. Isto é seu!

- Oh, não. Deve ser de outra pessoa.

- Não, não é seu. Tenho certeza.

E ela sorriu. A flor era linda. Mas mesmo assim tentou recusar, mas antes que pudesse abrir a boca novamente:

- Cultivei desde o primeiro dia que te vi passar; cresceu conforme a minha esperança e quando bela ficou, colhi pra você! – disse o rapaz.

Aceitou. Não tinha mais jeito, dali pra frente... floresceu.
"Mas no fundo eles sabiam que tudo era um joguinho bobo de orgulho, e que por trás das caras fechadas e bicos não se aguentavam de saudade."


Jullyane

”Dou valor, corro atras, amo e me apego, mas quando eu desisto e desapego é pra sempre.”

“Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.”


SALMO 90:12

" Me faça um gesto, me faça perto.Me dê a lua que eu te faço adormecer."

Mentiras

Você não me sentia ao seu lado, 
por mais que eu estivesse.

Eu sentia você ao meu lado – e agora vejo que não estava.

Dois sentimentos mentirosos.
O silêncio.
E o fim.

Verdade
Chega de interpretar.
As pessoas são suas atitudes.
E ponto final.

Jullyane

Estranho vazio.

 ...Faz tempo que não me perco em alguém....
Aquela estranha mania de achar que preciso estar sozinha, só para me sentir sozinha e saber que viver sozinho é viver pela metade.
...Até chegar a louca vontade de deitar no colo, de dizer que amo e amar mais do que digo, cada vez mais. De invadir o peito alheio. Mas não demora e desejo a tão temida solidão.
Não sei se devo continuar a procurar explicação do por que querer a solidão ou de uma vez por todas habitar um coração, embarcar numa paixão que dure pra sempre.
Medo de ser feliz, já estou me convencendo. Gostar de sofrer não, apenas duvidar da existência de alguém capaz de preencher os vazios desse meu peito. 
Calejado, mas esperançoso. 
Amor não precisa ter sentido...
Eu pago pra ter surpresa, deixar de lado a tristeza e viver sem razão.



Nika
Ela foi viver um amor de verdade. Ele ficou com a falta dela a lhe fazer companhia – para ele, não poderia haver par melhor.

Um e outro

Um foi capaz de dar a ela ainda mais de si mesma.
O outro levou o que ela nem tinha. 

Um ensinou a solitude. 
O outro deixou de herança a sua solidão. 

Um acreditou com ela.
O outro não quis acreditar.

Um foi embora pra ficar. 
O outro não ia nem ficava – na pretensão de assim alcançar a inexistência.

Amor e dor.
Os dois ali, nela.

SolidãoDeDois

...Que nem a morte seja capaz de nos afastar.
Se ela for petulante e estiver me ouvindo...
Que não me leve primeiro.
Não porque eu quero viver sem você, nunca.
Mas porque a dor de quem fica é imensurável...
E eu não quero que você a sinta.
Para que não ache as coisas injustas, homem é mesmo teimoso!
Mas não seja bobo, amor.
Nenhuma despedida é eterna, em breve estaríamos juntos novamente.
Afinal, você não é teimoso sozinho.

Mas tenha certeza, aqui ou onde eu estiver, todos saberão o quanto é sincero e verdadeiro o meu amor.
O nosso amor, a nossa sintonia...
E eu contarei os dias pra te reencontrar...
E eu cantarei a nossa canção a cada amanhecer, pra que você sinta eu acordar ao teu lado.
...Mas eu não quero pensar no pior...
Em qualquer lugar seremos um só, inevitavelmente.
Pensemos então nos nossos sonhos, nas nossas tardes assistindo o pôr-do-sol.
Os nossos afagos, nossos segredos...
Agora me prenda em teus braços, olha nos meus olhos...
...E me beija...
Me beija suavemente, em silêncio...
...porque a inveja tem sono leve...


Que isso nunca acabe!



Nika
Mas se fossemos nos deixar entristecer e enfraquecer por expectativa frustradas, não haveria prazer algum na vida em encontrar pessoas que valem a pena. Não importa quantas vezes a gente se decepcione, o importante é continuar com a esperança de que pessoas melhores estão por vir.


Manoela Meinke De Almeida
E ainda tem gente que não entende o porque agradecer todos os dias... E pra essas pessoas eu pergunto: ''E porque não agradecer?'' Devemos agradecer pelo ar que respiramos, pelo sol que temos o privilégio de ver nascer e se pôr todos o s dias. Devemos agradecer também pela saúde que nos foi dada e pela oportunidade que nos é oferecida. Temos muito o que viver e a vida tem muito o que nos oferecer. Basta sabermos escolher o caminho certo e aproveitar devidamente todas as maravilhas que nos foram concedidas.


Manoela Meinke De Almeida

Amor livre

[...] Eu te amo porque você é indispensável na minha vida.
Nada que digam vai mudar o meu amor por você.
Você me acolheu com o seu abraço, me ensinou.
Me encantou com sinceridade, me fez sentir seguro.
Ninguém me conhece tão bem, nem mesmo eu...
Livre , nosso amor não tem explicação.
Estava aqui antes mesmo que eu me tornasse homem.
Antes mesmo que você se fizesse o meu par.
Não pude deixar de vê-lo desabrochar...
Orgulho tenho de ser o primeiro e único a sentir  sua barba roçar...
Seu corpo é o caminho que quero percorrer, durante a vida, a cada amanhecer.
Sem maldade.
Onde veem pecado, eu vejo lealdade.
Me olho no espelho e vejo você.
Do começo ao fim, metade de mim.

"Eu te amo porque você poderia amar qualquer pessoa, mas você ama a mim..."
Que o  amor livre não incomode!

Não deixar que o medo torne as coisas impossíveis...

Amor as vezes parece impossível de ser vivido.
O medo é o que prende os nossos passos.
Trazendo com ele, a distância. 
Por medo de pôr tudo a perder, não arriscamos.
E assim deixamos de viver muitos sonhos.
Pensando que amamos sozinhos...
Colocando obstáculos, sem querer, como se fosse medo de ser feliz.
Ou simplesmente de sofrer, mais uma vez.
Escondida em mim, por achar que falar do que sinto é bobagem...
Como contar que esse amor não cabe mais em mim?
Passei o tempo, tentando me convencer a não confundir as coisas.
Aceitá-las como estavam.
E o tempo mais uma vez me surpreendeu. 
Trazendo respostas, por não vê-lo passar, pensando em você.
Mas o medo ainda está aqui...
Perder, mudar, afastar, magoar...
Mas nada disso muda o que eu sinto.
Nunca vai mudar...

Nunca consegui me apaixonar pela beleza. Me apaixono por olhares, sorrisos, pequenos gestos, longas conversas, atitude, jeito de ser, companheirismo. Não me limito apenas com o exterior.

Nunca consegui me apaixonar pela beleza. Me apaixono por olhares, sorrisos, pequenos gestos, longas conversas, atitude, jeito de ser, companheirismo. Não me limito apenas com o exterior.

Algumas coisas são como o expoente das incógnitas, são "invisíveis" a olhos desapercebidos, no entanto, são de suma importância.

" Nada é uma palavra esperando tradução "

quirolatria


Tocamexploram, rendem, descobrem, enxergam, ensinam, revelam
seduzem, corrompem, sentemprotegemexcitam, escapam
apalpamreconhecem, comunicam, pervertem
deslizam, esquentam, esquadrinham
acarinham, deliciamrevistamdescompassam, agarram
aquecem, inspiram, entrelaçam
selam, apaixonam, desobedecementregam, carregam, desarmam
unem, umedecem, degustam
conhecem, guardamapreciam, desequilibram, retribuem, arrepiam, enlouquecem...


Nika

Eu (por eles).

Eu sou doida porque cuido.
Eu sou doida porque eu gosto de natureza (me relaciono bem com mato e bicho, mesmo!). 
Eu sou doida porque eu amo ler.
Eu sou doida porque não frequento as festas onde os "gatos malhados" estão "caçando".
Eu sou doida porque acho boate lugar de gente triste (sim! tá todo mundo querendo desabafar).
Eu sou doida porque eu não fico com 11 caras numa noite.
Eu sou doida porque eu amo, eu sinto.
Eu sou doida porque eu acredito no bem.
Eu sou doida porque eu confio.
Eu sou doda porque eu sou vegetariana
Eu sou doida porque eu falo a verdade.
Eu sou doida porque eu gosto de filmes antigos.
Eu sou doida porque já tive uma lagartixa de estimação (mais carinhosa que muita gente por aí!).
Eu sou doida porque eu sou sincera.(para que serve isso nos dias atuais, não é mesmo?).
Eu sou doida porque eu gosto de desenho animado.
Eu sou doida porque eu torço pra Seleção Argentina.
Eu sou doida porque eu ouço música de gente velha.
Eu sou doida porque eu gosto da minha casa, e me sinto bem nela.
Eu sou doida porque saio pouco, só por bons motivos.
Eu sou doida porque eu não bebo pra dizer na cara o que eu penso.
Eu sou doida porque eu não gosto de carnaval.
Eu sou doida porque defendo meus ideais.
Eu sou doida porque tenho poucos amigos e não sou popular.
Eu sou doida porque  aproveito até a solidão pra refletir.
Eu sou doida porque gosto do silêncio.
Eu sou doida porque não vou à festas semi-nua.
Eu sou doida porque tenho buracos na orelha.
Eu sou doida porque prefiro bibliotecas a shopping center.
Eu sou doida porque eu gosto da noite.
Eu sou doida porque eu sonho.
Eu sou doida porque eu cedo o lugar para os mais velhos.
Eu sou doida porque elogio outras mulheres.
Eu sou doida porque não penteio o cabelo.
Eu sou doida por tanta coisa, que não cabe aqui...
Ah, não vai se identificar com uma doida, ein?

"Vivo em um mundo que não merece minha lucidez..."
Robert Nesta Marley.